Volta às aulas presenciais: saiba como lidar

Depois de quase sete meses após o fechamento das escolas devido à pandemia e o início do ensino a distância, muitas escolas receberam a autorização para retornar as atividades presenciais. Essa novidade exigiu, mais uma vez, adaptação de profissionais da educação e famílias.

Além dos cuidados com a saúde e a higiene para evitar a propagação do vírus, o momento continua pedindo atenção com professores e estudantes. “Ainda não temos a noção exata da proporção do impacto da pandemia nas crianças e nos adolescentes. Por isso, a observação e o monitoramento do comportamento são extremamente importantes.”, explica a psicóloga Amanda Amorim, da Clínica Espaço Construir.

Entre os aspectos que podem ser observados, a especialista menciona: irritabilidade, agressividade, dificuldade na interação social e choro excessivo. “Precisamos lidar com paciência, acolhimento e olhar empático para que esses sintomas não progridam para algum transtorno de ansiedade ou depressão”, acrescenta.

Segundo ela, escola e família precisam falar sobre a saúde emocional e abrir espaço para temas, como autoestima, responsabilidade e comprometimento, criatividade e autonomia. “Com as crianças, sugiro jogos e brincadeiras que trabalhem essas habilidades. Já para os adolescentes, é interessante promover dinâmicas e palestras com especialistas.

Para lidar com esse novo período desafiador, a psicóloga também recomenda focar nos pontos positivos do retorno presencial. A positividade ajuda a encarar melhor as mudanças. “O cérebro é um órgão social e, por isso, precisa de interação e estimulação social. Apesar de conversarem por telas nas aulas on-line, a relação presencial é insubstituível. Esse é um ponto positivo”, ressalta.